AS MUDANÇAS QUE A VIDA QUE NOS TRÁS.

Sobre todas as coisa que já vi e vivencie na vida, sigo nesses últimos anos pensando em tudo que mudou. Todos nós sabemos que vivemos em grande e constante mudanças.

Mudança de tempo, de humor, de amor. Mudança de endereço, telefone, status nas redes sociais. Sabe aquele do facebook, no qual ele sempre questiona ao abrir a página ” No que você está pensando hoje?” ou “como você está se sentindo?”, sempre, nunca é o mesmo pra todos.

Cada qual sente de uma forma, enxerga e sente o mundo ao seu redor de uma maneira diferente. Da mesma forma é quando algo muda. Cada um recebe, abraça, soma, divide, reclama, surta ou atura de uma forma diferente todas as mudanças que a vida nos dá.

A gente muda de casa, mais fica sempre com aquela lembrança boa de infância daquele quintal, dos vizinhos que brincava na rua até tarde. A gente muda de relacionamento (claro, quando ele não é abusivo) e sente falta (nem sempre), de algum momento especial que passou ao lado daquela pessoa.

Quando eu estava no ensino médio, eu sempre me pegava pensando no que seria da minha vida. Se um dia eu chegaria a casar, ter filhos, ter uma profissão. Chegava até a pensar que um dia, levaria minha sempre nas baladas, nas intensidades que eu me jogava de cabeça, sem pensar no que iria acontecer ou não.

Daí entra o que eu quero dizer, o que eu sempre penso, aliás que venho pensando sempre. Uma palavra que não sai ao redor do meu pensamento, Mudança!!!!

Como que passa rápido! Como essa palavra tem um poder gigantesco diante de tudo aquilo que pensamos, sentimos e queremos seguir. Ela sempre está acompanhada de diversas outras palavras que possuem um outro poder muito maior diante do universo.

As pessoas a nossa volta muda, as personalidades de algumas, que juro, pensei que seria a mais verdadeira, e que de forma alguma deixaria sair da minha vida muda. A profissão que exercia á alguns anos atrás muda, a nossa política, a nossa democracia, os nossos problemas…

TUDO MUDA!

O que eu penso é que diante de todas as coisas, de todas essas mudanças mundanas, tudo que experimentos, que sentimos ou pensamos serve de aprendizado. Mudança é algo que nos faz crescer, amadurecer.

Claro. Nem todas, carrega coisas boas (Um bom exemplo é a nossa mudança política! Não adianta vir o papinho de que pelo menos tiramos o PT! Cara, não é questão partidária e sim Humanitário, mas isso eu deixo pro próximo texto!)

O que eu quero por pra fora, e que há dias eu estou entalada na garganta, é que as pessoas mudam, nossa rotina muda, nossas vidas muda! A mudança nos deixa nostálgicos de momentos bons que ficaram para trás, de rotinas malucas que amava e que hoje não tenho mais.

A única coisa que sei é que cabe a mim apenas respeitar as mudanças da sua vida. Respeitar as suas escolhas, da mesma maneira que a mudança que chegou até a mim também espera.

Reciprocidade vem colada com a mudança, quando se fala de coisas boas. Respeito vem junto quando se fala de mudanças diversas e que são opostas as suas.

Tudo muda, o mundo Gira e viveremos em constantes MUDANÇAS!

Advertisements

Falta pouco pro meu bem chegar <3

Falta tão pouco pro meu maior bem querer chegar, que aquela ansiedade citada aqui há uns 4 ou 3 meses atrás, ainda persiste em mim.

Não tem como não dormir uma noite e não pensar, sequer como será o rostinho, as mãozinhas, o cabelinho, enfim, tudo! Não tem como não pensar em como será um pedacinho de mim e do papai, que com muito amor colocamos nesse mundo louco.

Não tem como saber, apenas como esperar. Mas confesso, que sentirei saudades das noites mal dormidas por não ter uma posição boa pra dormir, porque a Sophia resolveu ficar de uma posição maluca. Vou sentir saudades do tamanho da minha barriga. É como se eu quisesse que ela ficasse dentro de mim pra sempre, e tudo isso porque aqui dentro é mais seguro. Seguro dessas maldades do mundo! Não há preconceito, ignorância, não há perigos pra ela. Mas eu sei que a realidade não é essa, e sim! Ela tem que conhecer o mundo aqui fora. As pessoas que a amam, sem se quer toca-la!

Meu pedacinho logo em breve vai estar aqui nessa dimensão. E o que eu mais quero é enche-la de mordidinhas, de bitoquinhas e de muito, mais muito amor! Claro, que não será só eu, assim como o papai, as vovozinhas, a madrinha, padrinho, vovó… Enfim, tantas pessoas, que eu fico grata! Pelas demonstrações de amor e afeto pela minha Sophia, antes mesmo dela chegar.

E que Junho, logo em breve traga com muita saúde minha pedacinha de amor! É tão curioso, porque todos dizem que só sabemos o que é o amor verdadeiro, assim que temos um filho (a). E eu nessa reta final, me aproximo cada vez mais dessa afirmação. Sei que a Sophia será muito amada, por todos, mas principalmente por mim! rs E sei que ela irá me trazer muito mais maturidade, sabedoria e ensinamento!

Mamãe ansiosa está no aguardo! ❤

 

A espera de Sophia.

Então, a maternidade chega e vira teu mundo de pernas pro ar, de ponta cabeça. Gastos, medos, ansiedade, dentre mil e umas coisas que passam na cabeça de uma grávida.

Mais a ansiedade maior, não adianta, é a de saber o sexo do serzinho que carregamos todos os dias. Ao acordar, ao dormir, na hora do almoço, do jantar, do lanchinho da tarde. Na hora das intimidades, e das necessidades rs!

Quem será que eu carrego aqui dentro? Uma menina, um menino? como será que vai ser o rostinho? São tantas definições pelas quais não se pode ter certeza nenhuma. São tantas dúvidas que só irão acabar quando a data do nascimento do baby chegar.

No meu caso, há 20 semanas estou esperando uma Menina!!!

É uma menina da qual me pegou de surpresa, em todos os sentidos. Mas é uma surpresa tão gostosa, que quando sinto cada chutinho, cada vontade louca, ou sou mimada pelas pessoas que eu amo, eu simplesmente sinto uma felicidade tão grande, que não tem explicação.

A vida é muito louca, conturbada, aliás o mundo gira, e em cada volta que ele dá, ganhamos uma surpresa. A minha é minha filha, pelo qual descobri hoje seu sexo, e não tem como explicar a sensação de ver em uma telinha preta e branca, apenas uma prévia do que terei ao meu lado pela vida inteira, amarei pela vida inteira, e farei de tudo, tudo mesmo pra ver esse rostinho sorrindo sempre.

A alegria do pai, a risada alta da avó materna que sempre soube que a Sofhia estava abordo (pois ela sempre disse que era menina!), me encheu de satisfação e alegria. O sorriso estampado no rosto dos avós paternos, e até as lágrimas, alegram mais ainda.

Não espero muito da vida, a verdade é que eu nunca esperei, ter o melhor carro, as melhores roupas, nunca esperei muita coisa, além de ter amor de verdade de todas as partes.

Sempre amei ver o sorrisinho lindo de várias crianças que convivi em meus estágios, e me apeguei em tantas delas, que aonde as vejo, sinto uma imensa necessidade de beija-las, abraça-las. E agora, eu vou ter um desse sorrisinho pra mim! rs

Não peço muita coisa além de uma maternidade transbordada em calmaria, em energias positivas, onde qualquer mal olhado, inveja, urucubaca, pesos do passado, e sangue sugas de energias, fiquem longe de nós. Aqui clamamos por amor, muito amor!

Minto! Espero sim!! Espero que a Sofhia, tenha uma saúde perfeita, (coisa clichê que se ouve na gravidez, mais que é algo essencial!), que ela tenha bons gostos musicais! (se depender da influência dos pais, vai ser mara! rs), que ela tenha a sua mãe como sua melhor amiga, assim como eu tenho e terei a minha! Que ela saiba aceitar as pessoas como elas são, sem preconceito algum, que ela saiba antes de mais nada fazer tudo, tudo com amor e carinho! E que a vida lhe traga somente coisas boas, pois sua mamaẽ e seu papaizinho lindo, farão de tudo pra lhe proporcionar tudo isso!

Agora, o que me resta é esperar, mais 4 meses e meio, pra ver a minha surpresa mais linda do mundo!

Seja bem vinda, SOFHIA!

A sabedoria do mundo te espera, pra que você possa nos dar a sua sabedoria! ❤

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Enfim… a Maternidade!

Sempre acreditei que a maternidade seria algo longínquo em minha vida. Não! Nunca me imaginei passar por ela aos meus 24 anos. Sempre que possível, imaginava-a aos 28, 27 anos. Ou seja daqui 3 ou 4 anos pra frente.

Mas, acredite! Nada é como planejamos. E os designos de Deus, são maiores do que pensamos. É como se minha vida caminhasse normalmente. Nada de estranho. Apenas as dores e queimações de estômago que me fizeram confundir por semanas com uma gastrite atacada.

Sim! Acredite você ou não. Anticoncepcionais quando trocados podem falhar. E claro, a pílula do dia seguinte quando tomada muitas vezes, não fará nenhum efeito.

A questão é que quando penso, ou melhor observo minha barriga crescer cada dia que passa, não consigo ainda associar que carrego comigo 24 horas por dia,uma vida em construção. É como se a ficha não estivesse caído, ou eu estivesse fora do ar. E ao mesmo tempo, transbordando de alegria em pensar que eu vou ter um bebezinho, daqueles lindos! (É assim que imagino e espero!).

É um jogo de questões a serem pensadas, resolvidas, simuladas. O sexo? Não, ainda não sei! O nome? Algumas sugestões do pai, das avós e do avó, do tio, da tia, do primo, da prima, da internet, do diário de 2004 que escrevia apenas imaginando quando fosse mãe.

É engraçado porque ainda não me sinto mãe por completo. Até porque acredito que o que irá me completar virá apenas daqui 7 meses. Meses estes que desejo que passem o mais rápido possível. A curiosidade é a inimiga da ansiedade. Ela prova imaginações que ás vezes até fogem da realidade. Mas calma. É apenas a vontade de matar a curiosidade de saber que no final tudo dará certo.

A vontade de montar o enxoval completo, de definir o nome, de realizar o chá de bebê, de fazer infinitas coisas, vão e vem a todo instante. Sem contar que o desejo maior, não é de comidas estranhas, ou coisas inusitadas. É apenas de ver o rosto, os olhos, do tempo passar e saber qual palavra sairá primeiro? Quando será que os primeiros passos surgirão? Os dentinhos, quando irão aparecer? E quando a adolescência chegar?

São tantas, tantas, tantas perguntas, tantas questões futuras chegando fora do seu tempo. E são tantos medos também. Medos dos quais prefiro esquivar sempre. Não sei se é o momento certo, o momento do qual me sinto completamente madura, mulher por inteira. Mas ao mesmo tempo me sinto completa. É tanto amor de tantas as partes, que me completa mais ainda.

Talvez cada coisa aconteça no seu tempo certo. Mesmo com obstáculos que a vida proporciona, e que são apenas para fortalecimento. A minha hora chegou. E não posso nem ficar brava com a dona cegonha, porque ela faz as entregas conforme o chefe maior manda! E por sua vez também, acredito que até o papai noel adiantou o presente!

Apenas desejo que a minha maternidade seja algo belo, calmo, equilibrado. Que a mudança do meu corpo seja plena. Que durante estes meses eu cresça mais como ser humano, que eu aprenda coisas mais belas das quais já tive a oportunidade de aprender. Que eu não me assuste com o crescimento da minha barriga rs! Que eu saiba levar durante toda a minha vida, o significado de ser mãe. Só agora eu vou saber o verdadeiro amor que a minha mãe tanto diz. Que seja belo, que seja eterno, que seja singelo!

E que Junho me traga o presente mais lindo!

 

 

 

Defina o amor á sua maneira.

Hoje em um aplicativo me mandaram uma pergunta: O que é o amor?

Pensei uns 3 minutos e logo já me peguei pensando um mil e uma definições das quais eu acredito. Eu acredito e nem todos. Algumas pessoas podem concordar com minha opinião. Outas não mas enfim…

Acredito que o amor, seja algo tão simples e o ser humano complica esse sentimento de todas as formas possíveis. Relação homem e mulher, relação homoafetiva, relação homem e animais.

Em quase toda relação que envolve o amor puro e verdadeiro, o ser humano se deixa levar por coisa sem importância, quebrando esse laço, com traições, com mentiras, falsidades, falta de compreensão, entre diversos outros sentimentos negativos.

Amar vai muito mais além de ter um homem ao seu lado que te de presentes, roupas caras, sapatos de marcas, ou que á leve ao restaurante mais caro da cidade. Amar vai muito mais além do seu companheiro ter o melhor carro, ou a moto mais potente. Vai muito mais além de bens materiais, que ao partimos todas essas coisas ficaram aqui na terra. Vai muito muito mais além do que o dinheiro, envolve conquistas e derrotas.

Amar não é somente sexo, não apenas ir e gozar, ou ir e te dar o melhor orgasmo, ou a melhor gozada pro cara. Amar é aquele sexo que sim, tem ambas as coisas citadas acima, mas com aquele carinho, aquela segurança, aquele tesão intenso, que nunca acaba, que se acende com um beijo na nuca, uma mordida na orelha e outras diversas coisas que despertam a vontade de não querer outra pessoa, de querer se realizar na cama com essa pessoa que te eleva a outra dimensão.

Acredito que pra amar você precisa ser sincero consigo mesmo, para retribuir ao outro toda a sinceridade possível. Se você não é sincero consigo mesmo e com o que sente, além de mentir pra si mesmo, vai estar mentindo para o outro, e para o outro, e para o outro e para o mundo. Você precisa ter o equilíbrio de si mesmo e ajudar o outro a manter o dele. Você precisa manter a sua  esperança pra que a esperança de quem se ama, não se perca no meio dos solavancos, dos problemas que a vida impõe.

Manter um relacionamento não é fácil, o ser humano não é feito apenas de amor, mas se este sentimento predominar e ele se manter firme, embora haja falhas, erros, traições, mentiras, se este sentimento realmente for a coisa mais forte que você já sentiu antes, e percebeu que não irá sentir mais por ninguém, então acredite, que o amor vence qualquer barreira, qualquer obstáculo, qualquer mentira, qualquer magoa.

Amar é se dar sim, por completo ao outro, mesmo que no final de tudo você se fode, acredite, você amou de verdade e isso é a coisa mais pura que se pode fazer. É por amar assim, que se ganha amadurecimento, que se conhece o amor de perto.

Amar, amor, a dor. Ama-se demais e sente-se de muito. Ama-se de menos e se arrepende-se no futuro. Talvez, minhas palavras sejam falhas, e minhas opiniões sejam teorias sem conteúdo. Mas no final, mesmo definindo o amor a minha maneira, acredite na sua maneira de ver e viver o amor. Acredite em não deixa-lo passar, em não deixar de amar. Cada um vive o amor, acredita no amor, e sente o amor á sua maneira. Seja ela errada, falha, enfraquecida ou esquecida.

Não se importe com rótulos, com o que ele irá trazer, com o que o outro vai dizer ou fazer. Apenas ame.

Apenas sinta, reflita, e deixe que ele o amor, ensine á você a melhor maneira de defini-lo.

Um pouco que sou, se desfaz com o que o outro diz.

Talvez a maneira como enxergo as coisas, como exponho tudo o que sinto, vejo e acho, torna-se pra algumas pessoas como algo ruim ou como se eu sempre quisesse viver somente com brigas, discussões, e marretadas. Eu acredito que quando se é verdadeiro com o que pensa, com o que sente, e com tudo ao seu redor, por que fingir então ser uma coisa que você não é. Porque fingir que acredita em algo, se em algum momento dentro de si, você sente um pouco de ceticismo reinando, seja ele pela religião, por argumentos baratos, pela política mal feita do nosso país.

Infelizmente eu sou assim. Gostaria muito de verdade aprender a fingir que acho legal muitas coisas, ou que acredito em muitas delas. Gostaria eu de verdade, ter uma religião á seguir fielmente, mas a minha curiosidade, este meu ceticismo que balança mais não caí, vive em mim, e… infelizmente eu já o adquiri como uma característica minha pela qual, eu tenho vergonha de dizer e acabo escondendo por vergonha. AH vá á merda você com o seu ceticismo menina!

Mas, me criei com as experiências da vida, em  meio ao um mundo Rock in Rool, um mundo onde a rebeldia de falar, de pensar, de agir, de me comportar, de me impor diante a sociedade e minha família, sempre predominou. Acredite que aquela história de que existe sempre uma ovelha negra na família, realmente é verdadeira. E eu, bom… eu me considero uma delas.

Sempre gostei de tudo que é proibido, de tudo que me causa uma pulga atrás da orelha, e que eu possa ter a oportunidade de decifrar qualquer mistério imposto diante dessa rebeldia que julgo como morna nos dias de hoje. Aliás quando se encontra na casa dos vintes e poucos anos, você acredita que a velhice está se aproximando, e se sente velho. Sim, eu me sinto velha demais pra algumas coisas nos dias de hoje. Criei novos conceitos, novas visões. até porque ninguém vive apenas de rebeldia barata, sem argumentos e conhecimentos.

Por falar em conhecimentos, desde a minha adolescência, sempre busquei conhecer tudo aquilo que me movia. Aquelas coisas que me despertaram a vontade de conhecer. Coisas que eu sinto vontade de querer estar perto, coisas e pessoas. E eu sempre conheci e afirmo que conheço os que sempre estiveram comigo. Claro, é preciso aprender a conhecer as mudanças que surgem com o amadurecimento.

Falar de si mesmo nunca é fácil. Sobre mim mesma, em alguns momentos eu me perco mais nem é por não saber quem sou, o que quero, o que busco, ou o que afirmo ser. É que eu me perco em vários sentimentos que sinto no mesmo momento. Raiva, angústia, alegria, esperança. Eu me perco no meio ás minhas bagunças de sentimentos momentâneos, que passam conforme passam os dias como o de hoje. Eu me perco quando me julgam, quando julgam as minhas vontades sem saber quais são elas.

Minhas vontades são circunstâncias básicas que qualquer ser humano quer. Seja um ativista, um budista, seja o ser humano que é terremoto ou aquele que é a calmaria. Minhas vontades podem ser fúteis, frágeis, e podem se quebram como um copo de cristal. É que na verdade eu sou igual as minhas vontade, sou frágil com julgamentos falsos, confesso que tenho as minhas futilidades, e já me quebrei diversas vezes, e aprendi a me colar sozinha.

Queria eu saber ser um pouco mais calma, mais paciente, menos sonhadora. E mesmo com um pouco de feminismo em mim, assumo e não nego tenho meu maior sonho o de ser mãe, casar, uma casa pra cuidar e uma varanda pra deitar e ver o por do sol. E mesmo com toda essa doçura, ainda assumo que um outro maior sonho é colocar uma mochila nas costas e andar pelo mundo, com quem eu amo.

Ah, Luara, essa sua mania de sonhar demais, de não ter apenas um sonho mais sim vários, de ser um pouco bipolar, de não saber manter-se de boca fechada, e não saber engolir o choro quando a vida te põe em frente á julgamentos idiotas precisa acabar. Até porque, você  acredita que o ser humano foi feito pra conhecer o mundo e tudo aquilo que está em sua volta. Mesmo que doa, mesmo que machuque, mesmo que corte e te faça sentir-se como uma das piores pessoas no mundo como agora. Você sabe que é muito mais que isso, e que falar da boca pra fora, todo mundo fala.

Falar de si mesmo. nunca é fácil. Mas ouvir os outros falarem de você, para os outros é fácil demais.

Toda forma de Amor: Adoção gay e as novas famílias.

Fica muito claro diante de qualquer ser humano, os olhos de quem trás consigo o preconceito, a repulsa, a homofobia, e a falta de respeito diante da diversidade.  Digo diversidade, pois é assim que enxergo ás novas famílias, os novos casais, e as novas formas de amor que encontramos na sociedade.

O nosso país ao meu pequeno ponto de vista, sempre foi e sempre será uma sociedade completamente contraditória, onde lideres religiosos, políticos sujos, péssimos profissionais da educação, dentre outras grandes falhas na qual somos obrigados a viver todos os dias, enquanto tudo isso for predominante, não conseguiremos mudanças maiores no planalto, no senado e desculpem o palavrão: Não termos mudanças nem na puta que pariu!

Quando eu era pequena, e passava de carro na avenida Aricanduva em SP, várias vezes no semafaro, ficava olhando meia dúzia, ou mais de crianças jogadas na rua, pedindo esmolas nos carros que passavam. Em algumas ocasiões pude ver pequenos bebês sempre lindos, em péssimas condições de sobrevivência nas ruas, com famílias sem nenhuma estrutura e condições de vida. O que eu penso hoje, é que essas crianças, e até mesmo esses recém- nascidos ao serem colocados pra adoção, podem cair em mão boas ou ruins! Talvez soe um pouco contraditório, mas sabemos que há sim, casos em que muitas crianças voltam para os lares onde estavam antes da adoção por maus tratos. E a maioria dos casos de maus tratos, são de casais heterossexuais.

Pera! Não estou falando que homossexuais são anjos de candura, e os heterossexuais os demonios em vida! Não, Não! Mas pense bem, se essas crianças que já sofreram tanto em mãos erradas, estivessem com um casal homossexual? Poderia sim, ocorrer os maus tratos, quem sabe?! Mas acredito que as chances seriam de 20 à 40% de se tornar realidade.

O sonho de ser mães ou pais, deve ser tão grande que o amor, o carinho e o afeto é muito maior do que a agressividade, os maus tratos, e a falta de todos esses sentimentos bons citados á cima.

Essas novas famílias com duas mães, dois pais, ou sem pai e sem mãe, somente avós e avôs, tios ou tias, e assim por diante, nada mais nada menos merecem apenas o respeito da sociedade e o agradecimento de poder realizar o sonho de muitas crianças que só queriam amor, carinho e afeto, não importando da onde esses sentimentos venham, apenas que sejam verdadeiros.

Acredito que julgar essas novas famílias, principalmente as famílias homoafetivas, é completamente desnecessário. O mínimo que a sociedade de maneira geral, deveria fazer é aceitar e agradecer que ainda há pessoas boas no mundo, pois pessoas boas, que dão amor ao próximo, estão ficando extintas no mundo.

Sou favor á adoção para casais homossexuais SIM!!! E não me julgo defensora dos homossexuais, e de toda classe LGBT. Apenas procuro acreditar que o amor pode vencer todas as coisas. E que o pré- conceito e o Preconceito podem ser extintos sim, através de muita luta, contra todos esse valores ultrapassados e completos de hipocrisia. Acredito no ser humano, e não me importo com as diferenças, pois se o mundo fosse igual, e todos fossem iguais em tudo, o mundo seria pacato demais para mim.

Mesmo que vem do medo.

E quando menos se espera, alguma coisa coloca algo no seu caminho por determinado motivo. Não sei se é o acaso, mas pra quem acredita em destino, aquele Maktub, sinônimo de estava escrito faz todo o sentido.

E não importa qual seja as circunstâncias, o dia, a hora, nada disso se torna relativo. O que vale apenas é o olho no olho, o cheiro natural da pele, o sorriso sincero, o abraço seguro, e as mãos juntas que se tornam alicerce de ambos. As brincadeiras não são apenas pra tirar cocegas, e nem sorrisos, mas pra esquivar de qualquer tristeza que possa apodera-se no momento.

Os abraços mais seguros, são como escudos, do qual ninguém pode se ferir, nada pode atingir. E é estranho, porque quando você se acostuma com todas estas atitudes, uma falha, um erro, uma palavra mal dita ou mal colocada, parece que fere a alma, e nada te cala.

É que de tantas cicatrizes remendadas, de tantos tombos, ralados, e até mesmo quando se ocorre aquele sábio ditado “tiro, porrada e bomba”, quando se sente que todas as suas ações, desejos, olhares, carícias, sexo, tesão, quando tudo isso e muito mais se torna recíproco, você assusta.

Assusta de uma maneira que por muito tempo a vontade é sair correndo, e nunca mais voltar. Sim, eu por diversas vezes já pensei em fazer isso. Mas o tempo, que se diz currar as feridas da alma e da mente e coração, o tempo que nos ensina, ele esfrega na sua cara com todas as possibilidades possíveis, que sua chance de ser feliz, pode sim ser esta que te assusta, que te dá medo, e o mais importante: é de verdade.

Não tem pra onde correr! Você se pega pensando demais, sentindo demais, querendo demais, sonhando demais, planejando demais… Amando demais em alguns momentos. Mesmo que você tenha enterrado o medo, curado suas angústias e feridas, sim! pra quem se deixou dominar pelo medo, ele sempre ronda.

E o medo é em algumas horas se torna fundamental. Ele trás adrenalina, aquele frio  na barriga de não saber o que a pessoa vai dizer quando te ver, tipo aquele suspense no final do filme?! E no final a pessoa não te fala absolutamente nada com palavras, mas apenas com um simples olhar sincero, um sorriso que transmite ingenuidade e sinceridade de um homem- garoto- rs!, com um abraço que te transmite um amor tão grande, tão gostoso…

Que no final das contas! Você se pega fazendo planos futuros, querendo voltar pro colo dessa pessoa todos os dias, querendo dormir e acordar junto todos os dias. Mesmo com críticas, com a incerteza das pessoas julgando que não haverá futuro nessa história, mesmo com problemas e obstáculos,mesmo com o medo, mesmo com brigas fúteis, mesmo com o cansaço do cotidiano, mesmo com novas rotinas, mesmo com o mesmo que o amor nos dá. No final de todas as noites, é junto dessa pessoa que você vai querer estar.

Mesmo que o amor não se perdure por todo o sempre, ou melhor eternidade, quando você encontra um amor calmo, tranquilo, sereno, sincero e de verdade! Nada mais importa!

O que é ser mulher?

fato

Radicalista

O conceito do que é “ser mulher” sempre foi, para mim, ao mesmo tempo simples e complexo, por mais absurdo que isso possa soar. Nunca foi um conceito difícil de assimilar, e isso se deve provavelmente ao fato do mundo a minha volta ter sempre deixado muito claro que eu sou mulher e, consequentemente, ter deixado muito claro também qual era o papel designado a mim e a pessoas como eu na dinâmica social.

Minha mulheridade sempre esteve associada com a minha dor, com o meu silêncio, com a minha falta de espaço social e com os sacrifícios feitos e o sangue derramado por mulheres, décadas e até séculos atrás, para que eu tivesse a chance de estar terminando o Ensino Médio esse ano e cogitando entrar na faculdade e estudar para me tornar uma diplomata; para que eu tivesse pelo menos a chance de ser alguém sem precisar…

View original post 3,117 more words